quarta-feira, 28 de setembro de 2022

Defesa diz que decisão de ministra “não afeta em nada” candidatura de Ricardo

 


Os advogados do ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PT) emitiram uma nota na tarde de hoje para comentar a decisão da ministra Cármen Lúcia que rejeitou também hoje o recurso do candidato ao senado. Ele havia recorrido ao STF tentando reverter a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que lhe condenou à inelegibilidade em 2020.

Confira a íntegra da nota:

Sobre a negativa de um dos recursos impetrados por Ricardo Coutinho no Supremo Tribunal Federal nesta quarta-feira (29), deve-se informar que incumbirá ainda a 1ª Turma do STF dar a palavra final sobre questão. É importante ressaltar também que ainda tramita no STF a ADIN 7197 ajuizada pelo Solidariedade e que discute, de forma mais ampla, o prazo de inelegibilidade aplicado nas ações eleitorais.

Portanto, a decisão desta quarta não afeta em nada a candidatura de Ricardo Coutinho, que permanecerá sub judice até que haja decisão sobre o tema pelo plenário do TSE.

Há poucos dias das eleições, Ricardo Coutinho segue firme rumo à vaga no Senado Federal na Paraíba. Nada vence o trabalho.

ParlamentoPB

Festa de São Severino Bispo, em Nova Floresta-PB

 


A Paróquia de São Severino Bispo, na cidade de Nova Floresta-PB, forania Curimataú, divulgou a programação da Festa de seu Padroeiro. As festividades serão realizadas entre os dias 11 a 20 de outubro e terá diversas atividades entre as quais, alvoradas, missas, procissões, shows culturais e muito mais.

O tema deste ano é “Com São Severino bispo a caminho da fé e da caridade”, fazendo alusão ao Ano Pastoral da Caridade vivido pela diocese campinense. O Padre Tadeu Laurentino, convida os fiéis católicos da região a participarem com muita devoção e piedade dos festejos.

Confira a programação completa clicando aqui

Com Pascom

segunda-feira, 26 de setembro de 2022

Covid-19: Paraíba não registra novos internamentos pela doença há pelo menos dez dias


Entre os dias 18 e 24 de setembro foram confirmados 411 casos de Covid-19 na Paraíba. Deste total, 406 são leves e 5 hospitalizados. Até o último sábado (24) estado já contabilizou um total de 652.783 casos da doença.

Os municípios que apresentaram mais registros no período foram: João Pessoa (139); Jericó (83); Campina Grande (42); Bayeux (38) e Santa Rita (19)
Foi confirmado um óbito entre os dias 18 e 24 de setembro. A vítima é uma mulher, com 97 anos de idade, residente do município de Campina Grande. Não foram informadas comorbidades. No momento, o estado segue com 2 óbitos em investigação.

* Dados oficiais preliminares (fonte: SI-PNI, e-SUS Notifica, Sivep Gripe e SIM) extraídos às 10h, do dia 26/09/2022, sujeitos à alteração por parte dos municípios.

Cobertura Vacinal

Fazendo um recorte para a primeira dose de reforço na população com 18 anos ou mais, o estado contabiliza 2.010.482 doses, o que representa 67,43% da população desta faixa etária.
Em relação à segunda dose de vacina nas crianças com idade entre 5 e 11 anos, a Paraíba tem 160.920 doses administradas, totalizando 41,14% da população contemplada.

Ocupação de leitos Covid-19

De acordo com o Centro Estadual de Regulação Hospitalar, no período compreendido entre 18 e 24 de setembro, nenhum paciente foi internado. Nesta segunda (26), a ocupação total de leitos de UTI adulto em todo estado é de 2% e três pacientes estão internados em unidades públicas de referência para a covid-19.

Os dados epidemiológicos com informações sobre todos os municípios estão disponíveis em: https://paraiba.pb.gov.br/diretas/saude/coronavirus/dados-epidemiologicos-covid

Justiça manda Pedro Cunha Lima tirar do ar guia com fake news sobre imposto do PIX

 


O candidato a governador Pedro Cunha Lima (PSDB) vai ter qu tirar do ar o gui eleitoral com fake news sobre cobrança de imposto do Pix. A decisão foi da juíza Francilucy Rejane, do Tribunal Regional Eleitoral da Paraiba (TRE-PB).

A ação foi movida pela coligação Juntos Pela Paraíba, encabeçada pelo governador João Azevêdo (PSB). Caso o tucano descumpra a decisão judicial, terá que pagar uma multa de R$ 5 mil por cada veiculação do material falso.

“A informação veiculada por Pedro Cunha Lima no horário eleitoral gratuito não condiz com a realidade dos fatos amplamente noticiados no ambiente de Internet, inclusive, por entidade que representa o próprio empresariado paraibano, revelando-se, assim, tratar-se de uma desinformação que tem potencial de incutir no eleitor a ideia do não voto, desqualificando a imagem do candidato representante”, escreveu.

Fonte 83

Padre Edjamir Sousa Silva: Aporofobia

 


“Um pobre, chamado Lázaro, cheio de feridas, ficava sentado no chão junto à porta do rico” (Lc 16,20). Neste pequeno trecho da parábola Jesus desmascara e denuncia, com olhar penetrante, a realidade cruel da Galileia e também a de nosso mundo. É uma parábola inquietante que nos situa, a partir de Deus, na dinâmica das relações humanas. 

Essa é, sem dúvida, uma parábola de nossa sociedade: um rico fechado em sua riqueza se apodrece com ela, ou seja, perde sua humanidade e se condena, porque está cego e não ver o pobre à sua porta.

O rico não tem nome, pois não tem identidade humana. Não é ninguém. “Era tão pobre que só tinha riqueza”. Sua vida, vazia de amor solidário, é um fracasso. Muito perto, junto à porta de sua mansão, está estendido um “mendigo”. Coberto de feridas. Não sabe o que é um festim; não lhe dão nem do que cai da mesa para saciar sua fome. Estão com ele alguns cachorros que lambem suas feridas (estão em suas dores). Quantas vezes vemos nas ruas de nossas cidades que os pobres e os mendigos são acompanhados de uma animal/amigo fiel. Aqui se confirma um ditado popular: “o cachorro é um dos grandes amigos do homem”. Este homem que não tem nada, mas só um nome cheio de promessas: “Lázaro”, que significa “Deus é ajuda”.

Jesus não pronuncia nenhuma palavra de condenação, mas seu olhar penetrante está

desmascarando o cinismo e a cruel injustiça daquele homem (e da própria sociedade). As classes mais poderosas e as populações mais oprimidos parecem pertencer à mesma sociedade, mas estão separados por uma barreira invisível. Certamente Jesus recordou o cântico sálmico que diz: “Ouvi isto, povos todos do universo, muita atenção, ó habitantes deste mundo (…). Ninguém se livra de sua morte por dinheiro nem a Deus pode pagar o seu resgate. A isenção da própria morte não tem preço; não há riqueza que a possa adquirir, nem dar ao homem uma vida sem limites e garantir-lhe uma existência imortal. Morrem os sábios e os ricos igualmente; morrem os loucos e também os insensatos, e deixam tudo o que possuem aos estranhos; os seus sepulcros serão sempre as suas casas, suas moradas através das gerações, mesmo se deram o seu nome a muitas terras. Não dura muito o homem rico e poderoso; é semelhante ao gado gordo que se abate. (Salmo 84 (85), 2. 8-13).

Se o salmo 127 (128) canta a prosperidade, porque o salmo 84 (85) canta a ilusão das riquezas? Compreenda que Deus é o primeiro a desejar que vivamos bem, que sentemos à mesa e tenhamos o que comer, saborear justamente o bom da vida, de uma sobrevivência honesta, constante e equitativa (e não apenas um melhoramento de um cenário social por se aproximar da eleição). Deus vê quem, de fato, ama os pobres e está do lado deles e os que estão num abismo distante, escuro e serviçal de si mesmo e das estruturas desumanas: “Com efeito, os filhos deste mundo são mais espertos em seus negócios do que os filhos da luz” (Lucas 16, 8).

Semana passada o profeta Amos dizia: “Ouvi isto, vós que maltratais os humildes e causais a

prostração dos pobres da terra (…) jurou o Senhor: Nunca mais esquecerei o que eles fizeram. (8, 4). Deus quer que vivamos com dignidade. Deus se alegra quando vê as mesas cheias de alimentos e todas as cadeiras ocupadas, todos com bom apetite, vivendo a partilha com o coração pleno de alegria e fraternidade.

Onde está então o problema? Está no abismo social/econômico /doutrinal/afetivo…Também em nossa sociedade cresce cada vez mais o número de portas/abismos que nos impedem de ver a fome, o sofrimento, a pobreza, a desnudez; o ódio ao pobre (Aporofobia).

Ao ler o Evangelho, nos damos conta de que Jesus era muito sensível àqueles que careciam de

tudo. Em sua vida não havia nada que lhe impedisse ver a pobreza e o sofrimento dos outros. Isso despertava n’Ele a compaixão, o “sentir-com” os outros.

Claro que não basta ver. É preciso que o coração seja impactado. É preciso que a realidade nos doa no coração. É preciso que a realidade nos comova. Não basta saber que existem os pobres; não bastam as estatísticas sobre a pobreza no mundo.

É preciso escancarar as portas dos nossos preconceitos, da nossa insensibilidade, portas que nos fazem acostumar a ver famintos, necessitados, explorados…Tudo isso pode nos tornar insensíveis.

O que Jesus lamenta é nossa insensibilidade e nossa indiferença frente àqueles que passam

penúria. Esta é sua condenação radical: uma barreira de indiferença, cegueira e crueldade separa o mundo dos ricos do mundo dos famintos. A riqueza pode ser um grande obstáculo no coração; a púrpura, o dourado, o prateado, a pompa, a ostentação…podem ser um escândalo em um mundo de pobreza; os grandes banquetes podem ser um insulto em um mundo onde impera a fome.

Fonte: Paraibaonline

sábado, 24 de setembro de 2022

4ª Região realiza etapa regional do Arte em Cena em Cuité

 


A 4ª Gerência Regional de Educação (4ªGRE) através da Secretaria de Estado da Educação e da Ciência e Tecnologia (SEECT) realizou nesta sexta-feira, 23 de setembro, a edição 2022 do Festival de Arte e Cultura na Escola “Arte em Cena”. O projeto é regulamentado através do Decreto Estadual nº 40.000 de 15 de janeiro de 2020.

O evento aconteceu no Tetro Municipal Francisca Emília da Fonseca (Dona Chicota), em Cuité e contou com a presença do gerente regional de Educação, Maricléferson Gomes; secretário municipal de Cultura, Augusto Costa; articulador regional do Arte em Cena, Marcelo Viana, gestores e professores das escolas estaduais.


As escolas participantes foram: ECI Orlando Venâncio dos Santos, Cuité; ECIT José Luiz Neto, Barra de Santa Rosa; ECIT José Itamar da Rocha Cândido, Cuité; ECI Prefeito Aguitônio Dantas, Frei Martinho; ECI Francisco Marques, Damião; ECI Antonio Coelho, Nova Palmeira; ECI Cícero dos Anjos e EEEF André Vidal de Negreiros, Cuité.

Artes Visuais, dança, música e teatro foram as modalidades apresentadas de forma presencial.

Na edição deste ano, o Arte em Cena se integra as ações do Ano Cultural Augusto dos Anjos, paraibano nascido no Engenho Pau D’ Arco, atualmente município de Sapé. O Festival pretende aproximar os estudantes da obra do poeta.

A Comissão avaliadora foi composta por profissionais e especialistas por cada modalidade.

O resultado da etapa regional será divulgado no dia 28 de setembro.





sexta-feira, 23 de setembro de 2022

Senhora das Mercês, por Flauberto Fonseca

 


Senhora das Mercês, Mãe de Jesus, que os teus filhos e filhas tenha o vosso Sacrário Santo da mais viva fé em seus corações.

Nossa Mãe, nossa guia e nossa luz que alvorece os nossos caminhos da fé, da verdade, da unidade e do respeito pelo próximo.

Ó Santa Padroeira de Cuité, que hoje lhe colocamos nas nossas orações e a ti rogamos através de nossos pedidos e muito mais ainda de nossos agradecimentos por tudo que fizestes e faz por nós.

Ó Virgem Sublime das Mercês que dos altos dos céus nos concede o pleno gozo de vossa infinita bondade nos dar paz interior e perseverança naquilo que buscamos realizar.

Farol divino de eternal fulgor seja por sua intervenção o facho de luz que aquece, ilumina e direciona os nossos passos pelos caminhos mundanos sem nos perdermos nas bifurcações da vida.

Guiai ó Mãe celeste as nossas vidas e sobre elas deposite sementes de esperança, humildade e renovamento de nossa fé.

Pela estrada de Cristo Redentor pavimentada por vossa eterna benevolência e por gratidão possamos ter força e firmeza na condução de vosso sagrado andor.

E, quando o nosso canto, ó Mãe clemente disseminai sobre as nossas cabeças o mais puro arbítrio de devoção e respeito por ti.

Ecoar na celestial mansão são das vozes de vossos filhos e filhas que em tua honra cantam, clamam, oram e fazem rejuvenescer a irrevogável fidúcia por ti.

Sereis junto à Deus onipotente a ponte edificada nos caminhos celestiais que pelos quais pedimos através de vossa mediação que eles sejam a nossa última e verdadeira trilha até a santa Casa do Criador.

Medianeira da graça e do perdão em seu louvável dia nos presenteia com o vosso indulto e renova em nossos corações a fé que em ti depositamos ontem, hoje e sempre.


Foto: Vilma Guedes